Nos colocamos em primeiro lugar contra Bolsonaro, os golpistas e os capitalistas que planejam cada vez mais ataques aos trabalhadores. Se apoiam nas instituições desse regime golpista como o STF e o Congresso Nacional. É por isso que buscamos uma alternativa à esquerda do PT, que não somente abriu espaço pra direita como com seus governadores aprovou a reforma da previdência nos estados que governo como também está apoiando um candidato bolsonarista em Belford Roxo, no Rio de Janeiro. Não é possível enfrentar a extrema-direita dessa forma. Por isso consideramos um erro a política do PSOL de alianças com o PT, e ressaltamos a batalha que nossa companheira Lívia Tonelli deu em Campinas, retirando sua pré-candidatura a vereadora da cidade diante da coligação PT e PSOL.

Por isso a nossa atuação no parlamento será para ecoar a voz dos que lutam contra as reformas trabalhista, da previdência, sindical, o arrocho salarial, a inflação e os cortes em gastos sociais, que são todas medidas para que os trabalhadores paguem pela crise que eles, os capitalistas, criaram, e aumentando a repressão contra os que resistem a essas medidas. Nossa luta contra a direita passa por exigir das grandes centrais sindicais controladas pelas forças ligadas ao petismo que rompam sua paralisia e impulsionem a verdadeira luta que precisamos contra os ajustes, o desemprego e os efeitos da pandemia.

Em meio a essa luta contra os ataques do governo golpista defendemos uma saída independente que leve a questionar todo o regime político pra derrubar Bolsonaro e Mourão. Por isso lutamos por uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana onde se possa discutir todas as necessidades da população no país, lutar contra os privilégios dos políticos. Uma assembleia como essa é para nós uma forma dos trabalhadores fazerem experiência com essa democracia dos ricos para lutar por uma saída que vá a raiz dos problemas, o capitalismo, e impor um governo de trabalhadores de ruptura com o capitalismo.

O mandato parlamentar só pode atuar nessa perspectiva se souber que seu lugar é em cada luta, nos locais de trabalho, nas ruas, nas fábricas, escolas e universidades. Nosso exemplo são nossos companheiros Nicolas Del Caño, Myrian Bregman, Raul Godoy e outros parlamentares argentinos que fazem parte da Frente de Esquerda e dos Trabalhadores e atuam com essa perspectiva. Queremos apoiar ativamente cada mobilização dos trabalhadores, jovens, negros, mulheres e LGBTs.

Queremos que essa pré-candidatura se espalhe por todas as regiões da cidade, como já vem ocorrendo com professores, estudantes, metroviários, bancários, operadores de telemarketing, entregadores e outros setores que estão se somando para expressar nessas eleições uma voz dos trabalhadores. Faça parte dessa batalha junto com a Bancada Revolucionária de Trabalhadores!

Fortalecer a Bancada Revolucionária de Trabalhadores